2006 é 2016

3

O Mundial de 2006 nos trouxe milhões de coisas boas. Desde o resgate da auto-estima – ferida durante os odiosos anos 90, até a projeção do clube no cenário mundial.

Mas se eu tiver que elencar um, apenas um fato negativo dessa maravilhosa conquista e daquele ano de 2006, é o pensamento mágico da direção – seja ela qual for, de achar que a volta de alguém daquele tempo ao clube vai fazer com que voltemos a ganhar.

Fabiano Eller, Sóbis, Tinga, Bolívar são os que eu me lembro agora e, independente de terem dado certo ou não nas suas voltas ao Beira Rio, foram mais do mesmo, ancorados pelo sonho de que tudo voltasse a ser como em 2006.

Já são 11 anos desde esta conquista. Já tivemos algumas direções desde este ano mágico. Mas ainda não saímos dele.

O nome da vez agora para comandar o time em 2018 é o de Abel Braga. Galera, eu adoro o Abel. E serei eternamente grato a ele pelo maravilhoso ano de 2006.

Mas qual foi o trabalho legal do Abel a partir de 2012, quando ele foi campeão brasileiro pelo Fluminense? Você lembra? Eu não.

O que me leva a crer que, mais uma vez, seguimos enfiados no portal de 2006 nos iludindo com um tempo que não volta mais, pelo menos, com essa fórmula de trazer os de sempre.

Abel parou, estagnou, parece até estar de saco cheio do futebol. Até segunda, estava lutando contra o rebaixamento.

O que não dá pra entender é que Medeiros, Melo & Cia sigam achando, dentro dessa total falta de criatividade e coragem pra tentar algo novo e eficiente, que Abel é o melhor nome para o Inter.

Tá mais do que na hora de sairmos desse portal, tocarmos a vida em frente e criarmos novas alternativas. Assim como a direção fez lá em 2005, quando começou nossa época vitoriosa.

O risco de ficarmos presos em 2006 é o de a gente sair dali pra cair em 2016. E aí, a torcida não vai perdoar. Se liguem.

 

Te dedico, Colorado.

About author

Soletti

Publicitário, gostaria de ter sido congelado na década de 90. Em 42 anos de vida, viveu dois momentos mágicos: o dia 17 de dezembro de 2006 e o choro convulsivo da filha de 5 anos quando foi ameaçada pelo Papai Noel de ganhar uma camiseta do Grêmio no Natal.

3 comments

  1. Leonardo 23 novembro, 2017 at 21:01 Responder

    Ótimo post. Lembrando que em 2006, Abel pegou um time montado (campeão de fato e direito brasileiro de 2005) pelo Muricy que precisou ir embora por problemas familiares em SP, e com Fernandão comandando o vestiario. E em 2012 da mesma forma pegou um fluminense montado pelo Muricy, qye parou de treinar por problemas de saúde! Ou seja as duas últimas vezes dos títulos do Abel foram herança do Muricy!! Sem condições para o Abel!

  2. Dorian R. Bueno 29 novembro, 2017 at 09:34 Responder

    TOMARA QUE O INTERNACIONAL EM 2018 ABRA A PORTA CERTA!

    Já que o passado não voltará nunca mais, oremos que a nova PORTA que a direção, treinador, jogadores do INTERNACIONAL precisarão abrir em 2018, seja cheia de saúde financeira, física, jogadores competitivos, vencedores, perseverantes de atitudes realistas e ponderadas.
    Não poderá estar cheia de cupins do passado, doente, fraca, contaminada, precisará ser a PORTA que foi estudada e tratada antecipadamente com sapiência, para ela não bater nas suas caras com algumas derrotas.
    O espírito da humildade, criatividade e principalmente da capacidade de indignação para vencer, deverá estar renovada dentro dos vossos corações e nos pés de todos os jogadores do início ao fim de cada partida.
    Depende somente deles de fazer acontecer do outro lado desta PORTA 2018, que com certeza terá muitas novidades, dificuldades quilométricas novamente no Gauchão, Brasileirão da Série A, Copa do Brasil por este Brasil a fora.
    Eles sabem que torceremos aqui do lado de fora para que possam ser fortes para vencer jogando FUTEBOL, e juntos serem mais felizes como NÓS, que somos apenas TORCEDORES e ESCRITORES.
    Sejamos humildes e felizes, para abrir cada vez mais muitas PORTAS em 2018, ter grandes descobertas que sempre poderão estar do outro lado com novos desafios e vitórias.
    Chega de Série B, que tenhamos uma melhor sorte em 2018.

    Abs. Dorian Bueno – Google+Plus, POA, 28.11.2017

Deixe uma resposta