A burrice dos cavalos

2

Acho muito saudável a brincadeira, o deboche e a flauta no futebol.

É imprescindível. É vital. É fundamental.

A gente sempre espera uma derrota do rival pra poder tirar uma onda e sacanear no outro dia. É aí que tá a graça.

Por exemplo, domingo passado eu vi o Sertanejo Universitário de Uma Música Só junto com o Irmão do Oscar tirarem uma onda do Inter.

Apesar de nunca ter visto o programinha do final de domingo tirar onda desse jeito de qualquer time que tenha caído, além de ter notado uma grande inverdade histórica dita ali (sim, querido Sertanejo Universitário de Uma Música Só: vocês não só trupicaram, como caíram duas vezes) eu até achei engraçadinha e bem humorada a flauta sobre a situação do Inter.

Até ali, tudo bem.

A única coisa daquela besteirada toda que eu achei estranha foi que, em determinado momento, o cavalinho com a camisa do Grêmio pronunciou em alto e bom som: “COLORADO FEDIDO”.

Oiiii? Será que eu tinha ouvido isso mesmo ou já estava sob o efeito do Zopiden e, portanto, ouvindo coisas?

Pois na segunda-feira, de sono dormido e banho tomado eu resolvi ouvir de novo. E de novo e de novo. E, em todas as vezes eu ouvi “COLORADO FEDIDO”.

Como já disse aí em cima, acho que, no dia em que a flauta morrer, o futebol morre junto.

Mas ela, a flauta, precisa vir sempre acompanhada do respeito. Rir do Inter na segundona é perfeitamente aceitável.

Mas ser chamado de “COLORADO FEDIDO” é deplorável. Passa de qualquer limite de respeito e entra num campo bem complicado e arenoso.

Eu fico pensando no que se passa na cabeça de uma emissora que, em menos de 24 horas tinha exibido um programa condenando vários tipos de preconceitos e defendendo a diversidade em toda sua plenitude, com Lázaro Ramos, Dira Paes e grande elenco indo às lágrimas pela emoção dos exemplos ali apresentados.

Enfim, podem dizer que é chororô meu. Eu respeito.

Mas sigo achando que foi uma baita mancada do Sertanejo Universitário de Uma Música Só, do seu amiguinho Irmão do Oscar e da emissora.

A criança esperança do sábado morreu um pouco no domingo.

 

Te dedico, Colorado!

PS: e o cavalinho do Cruzeiro, hein?

About author

Soletti

Publicitário, gostaria de ter sido congelado na década de 90. Em 42 anos de vida, viveu dois momentos mágicos: o dia 17 de dezembro de 2006 e o choro convulsivo da filha de 5 anos quando foi ameaçada pelo Papai Noel de ganhar uma camiseta do Grêmio no Natal.

2 comments

  1. Dorian R. Bueno 24 agosto, 2017 at 11:02 Responder

    COLORADOS, VAMOS VENCER O IMPOSSÍVEL, ATÉ A GLOBO !!!

    E novamente aqui estamos felizes mais uma vez para trovar de futebol.
    Somos metidos enquanto eles treinam, nós damos o nosso pitaco.
    Cada um faz o que gosta escrevendo certo, errado ou bem anormal.
    Nós ficamos aqui pensando, escalando e enchendo sempre o saco.
    Muitos atletas para avaliar com coerência mesmo sobre pressão.
    Que maravilha ver o INTERNACIONAL jogar e o COLORADO ganhar.
    Somos uma torcida que tem uma linda alma que faz pulsar o coração.
    Pode sonhar, pode sorrir até chorar, mas não vale ofender e nos xingar.
    Temos família, consciência, moral e com nossos olhos podemos ver.
    Durante uma partida poderá não ser aquele dia e nada vai acontecer.
    Não temos culpa se treinaram tanto e naquela hora deixaram de fazer.
    Do outro lado sempre haverá alguém com garra e louco para vencer.
    Acredito que contra o Paysandu os nossos jogadores jogarão bem mais.
    Como é fortificante e importante, jogar bem a Série B e levantar a taça.
    Este ano está sendo bem diferente, para não esqueceremos jamais.
    O que importa é a vitória de toda a nossa querida COLORADA massa.
    Tem time aqui no PORTO que já esteve duas vezes lá há algum tempo.
    Azar deles queremos ter todas as alegrias e gozar a todo o momento.
    Estamos recomeçando mais uma vez o nosso CLUBE, e sem constelações.
    Vamos ter fé, vamos ressurgir das CINZAS, para turbinar nossas emoções.
    Antes das últimas rodadas agradeceremos por que tudo fluiu a nosso favor.
    Terão que nos agüentar e engolirem tudo que falaram durante todo ano.
    Ser torcedor do INTERNACIONAL é compartilhar a sua DOR e seu AMOR.
    Cremos que poderemos nos safar desta Série B vencendo dentro do Campo.

    Abs. Dorian Bueno – Google+,Plus POA, 24.08.2017

  2. Dorian R. Bueno 25 agosto, 2017 at 10:19 Responder

    COLORADOS, SEGUE A RECEITA PARA SER LÍDER DO G4 E SORRIR FELIZ !!!

    Em plena noite de 6ª feira os jogadores do INTERNACIONAL, terão mais uma vez a condição de jogar muito bem dentro do BEIRA-RIO, fazer o dever de casa, por que chegou a nossa vez de assumir a liderança da Série B.

    Os adversários que estavam lá no topo começaram a relaxar por falta de ingredientes de reposição no elenco, já nós fomos entendendo esta disputa e reforçando o nosso time, para engrenar de vez como nas últimas cinco partidas que vencemos.

    O COLORADO já está mais organizado, paciente, focado, intenso e feliz, por que aprendeu a jogar de forma aguerrida, mas com respeito aos demais times como o Paysandu, que inclusive nos venceu por 1×0 no primeiro turno.

    A receita para o INTERNACIONAL se tornar LÍDER do G4 e poder se lambuzar com uma fatia de um prêmio maior nesta altura do campeonato, é muito simples. VENCER, VENCER, VENCER, VENCER, VENCER, VENCER…

    Obs.: Durante o horário do jogo eu já estarei dormindo, por que não tenho como ver pela TV. Amanhã quando eu acordar para trabalhar por volta das 7hs, ficarei sabendo como foi esta peleia.

    Abs. Dorian Bueno – Google+Plus, POA – 25.08.2017

Deixe uma resposta