A ZAGA DO GUTO

1

Não é novidade para ninguém que acertar a zaga do Inter foi um parto doloroso. Além dos inúmeros testes e da insegurança do grupo como um todo, encontrar dois zagueiros que fossem da confiança do Guto levou tem po e os custou uma saraivada de gols.

No jogo de Caxias nós perdemos o cara que, além de dar segurança ao sistema defensivo, vinha metendo gols de cabeça. Pobre Klaus, ainda teve que aturar a demência de torcedores que mandavam o guri tomar cajú, enquanto ele saía com o pulso fraturado. E não venham com essa que é só futebol. O mundo não está mais tolerando esse tipo de comportamento, galera!

Atribuo o gol que tomamos de contra-ataque ao desencaixe da defesa com a saída de Klaus e a entrada do Ernando. Não é à toa que quem estava acompanhando o jogador era o volante Charles, e não algum zagueiro. Mas agora já foi. Perdemos, mas não é o fim do mundo.

Pensando bem, até pode ser o fim da nossa tranqüilidade. O menino Klaus vai ficar um bom tempo afastado e, com o lance de repatriar Thales, chega-se à conclusão que a saga  continua: A busca pela zaga perfeita!

Guto não confia nos caras que estão na reserva, e isso é um fato. Não fosse isso, não chamava o cara de volta. De onde teria vindo a dica pra ele voltar e trazer segurança? Do segurança? O pai de Thales, Sandro Matos, é um dos seguranças do elenco profissional do clube. Eu acho bacana, pois esse tipo de dica pode ser salvadora e vem do “coração” do grupo.

É bom que se diga que a volta de Dourado também contribuirá para recuperar a segurança, mas só peço ao Guto que treine À EXAUSTÃO, a bola aérea!!! PeloAmordeDeus! O Klaus estava encaixado com o Cuesta pra evitar o gol da bola aérea! OPS! Mas não foi assim o primeiro gol que tomamos em Caxias? E Ernando nem estava em campo! Ou seja, se liga Guto, não cochila que vai deixar cair o cachimbo, ou a coxinha de galinha!

Tomara que o jogo passado tenha sido apenas um solavanco na regularidade que conquistamos. Não dá pra passar mais tempo com o coração na mão nessa segundona!

About author

Thedy Corrêa

Músico, vocalista do Nenhum de Nós, tem como grande momento a recepção aos heróis colorados, em que estava no palco, em pleno Beira-Rio, e os campeões do mundo pisaram no gramado; vai criticar, elogiar, comentar, vibrar e TORCER MUITO SEMPRE.

1 comment

  1. Dorian R. Bueno 14 setembro, 2017 at 10:42 Responder

    QUIS SER TREINADOR, AGUENTA O ROJÃO !!!

    Faltou incluir nas novas regras do futebol, que o PÊNALTI durante a partida também poderá ser batido pelo o TREINADOR, caso os jogadores não estejam preparados emocionalmente para esta missão.

    Até pode ser delírio meu, mas o treinador que sempre escala os mesmos jogadores é um abençoado pelo fato dele não ter no time preferido, problemas de lesões, cartões, expulsões ou até mesmo baixo desempenho técnico.

    Já vi treinador no passado morrer abraçado com seus esquemas, teimosia em escalar sempre seus bruxos, principais jogadores, não dando oportunidades para os jogadores da base do Colorado.

    Sejamos coerentes, não temos no Grupo tantos jogadores que possam ser bem melhores do que os que estão sendo escalados, mas as oportunidades surgem quando algum deles FICA DE FORA.

    Futebol é assim mesmo, quando o time ganha e não joga bem, é culpa do treinador. Quando não joga o que treinaram, é culpa do treinador. E no dia que os títulos não são conquistados a culpa também é do treinador.

    Se forem campeões da Série B, o mérito democraticamente será de todos, até mesmo dos dirigentes.

    Cuidado Guto Ferreira, você terá mais algumas partidas para junto com os seus escolhidos garantir o Internacional na Série A, e ganhar um tremendo aumento adicional de salário, já que esta TAÇA será inédita.

    Abs. Dorian Bueno – Google +, POA, 14.09.2017

Deixe uma resposta