Chega de “não tem tu, vai tu mesmo”

2

Sinceramente eu acreditaria mais na continuidade da recuperação do Internacional, que começou com a saída (pra sempre?) da antiga, gasta e nefasta direção, se a atual direção demonstrasse segurança e rapidez nas contratações de jogadores.

Passando o tempo, sobram as nabas.
Vindo as nabas, acabam sendo escaladas.
Sendo escaladas, começa o nosso desespero.

Com a efetivação d’A Verdadeira Maionese, temos (ou deveriamos ter) a certeza que o novo treinador conhece muito bem o grupo. É inadmissível, portanto, que Hellmanns não saiba onde aperta o calo colorado, já que está há anos ali. É igualmente inadmissível que Hellmanns não conheça a base colorada e quem dali REALMENTE pode contribuir com o grupo principal. De guri cagado já temos Dourado, Thales, Juan e Winck.

Chega, né?

Aliás, por conhecer muito bem o grupo, também não pode perder aquele precioso tempo em reavaliações grotescas e ineficientes de jogadores que nunca renderam muito como, por exemplo, PorcAndersons, Robersons, Ernandos, Uendels, Paulões e outras nabas come-e-dorme do Beira Rio.

Acredito, ou quero muito acreditar, que Hellmanns sabe onde está faltando jogador. Espero que ele indique contratações precisas. Peço que meu time comece a jogar alguma bola minimamente redonda. Aguardo alguém que tenha uma boa ideia de esquema e de futebol na casamata.

E que, claro, concorde comigo, haha.

Na minha humilde opinião, pelo menos CINCO reforços de peso (= que resolvam a parada) tem que vir. Pra ontem. Dois laterais de confiança, um zagueirão, um volante e um atacante. No mínimo.

Senão vai ser osso em 2018 de novo.

Sinceramente gostei da contratação do Roger. Mas, sinceramente também, não passa de um baita reserva e, dizem, ótimo de grupo. Dependendo do esquema, até pode virar um bom titular (como no Botafogo, mas daí tem que ter treinador). De qualquer forma, nada muito mais do que isso.

Fora a falta de bufunfa. Um ano na segundona acaba com as finanças, que já vinham capengas da última “maravilhosa” gestão (nem se fala mais dessa vergonha, notaram?). Com pouca grana, tem que sobrar criatividade.

Porque se ficarmos no “não tem tu, vai tu mesmo”, ou resolvendo buracos com a gurizada ainda jovem e despreparada, vai ser bucha.

Vai por mim, Mr. President.



Segue pequeno verso tirado de um livro de uma das autoras mais sensacionais da língua portuguesa (especialmente no quesito literatura erótica feminina): Cassandra Rios.
Alambrado também é cultura, meu povo!

Cuzão pra cá
Cuzão pra lá
Quanto amor há

About author

Raul Krebs

Fotógrafo e colorado desde sempre. Traz pro Alambrado dois instrumentos essenciais: corneta e flauta.

2 comments

  1. Ruy Prieto 1 dezembro, 2017 at 19:18 Responder

    Aprecio suas opiniões, mas tenha cuidado quando falar de meninos. O Juan, por exemplo, você pensa que ele teve oportunidades suficientes para receber esta tua crítica?
    Outra, você é modesto, senão vejamos: precisamos de 3 laterais, pois só temos o Igor, com algum futuro. Mais de um volante dos que saibam jogar e botar respeito à frente da zaga e, pelo menos um meia de ligação. Atacante de velocidade, habilidade e coragem para ousar.
    Finalmente, seria bom que avaliassem características como, liderança positiva, capacidade de bater falta em pelo menos um deles e, o que ao meu ver não tem sido levado em conta: o QI futebolístico, isso mesmo, nosso plantel tem sido composto por jogadores pouco inteligentes e incapazes de lerem e entenderem o jogo.

Deixe uma resposta