Feitos de Paixão #01 – Terezinha Colorada

3

Perto de onde moro existe uma pequena empresa de bairro, numa garagem pequena e peculiar do bairro Floresta, chamada Ital Confeccões, da Dona Terezinha.
Ou melhor, Terezinha Colorada.
Porque nós, colorados, somos mesmo feitos de paixão.


– Meu nome é Terezinha mas todo mundo me conhece por Terezinha Colorada.

  • Então, sempre passo aqui e fico curioso com essa decoração. Resolvi parar pra conhecer.

– Ah, é assim mesmo, tudo vermelho, as recordações. A minha casa também é assim, tudo do Inter. Eu gosto, fica bonito.

  • E este ano, como vai ser?

– Vamos ganhar alguma coisa, né? Já vamos começar ganhando, tu vai ver. Eu sempre acho que vamos começar ganhando.

  • Tem visto os jogos? Acha que melhorou do ano passado pra cá?

– Ah, melhorou sim. Vejo todos os jogos, vejo tudo. Quer ver uma coisa que melhorou? Quer que eu te diga o que melhorou? Olha só, antes era balão pra cá, balão pra lá o tempo todo. Era zagueiro dando balão pra tudo que era lado. Isso terminou, não tem mais. Melhorou. O Odair mandou não dar mais balão. Tá certo.

  • E essa foto com o Fernandão?

– Ah, o Fernandão. Recordação, né? Nesse tempo do Fernandão, por isso que tirei foto com ele, não tinha nada. A gente já ia pro estádio sabendo que ia ganhar, só não sabia de quanto. Era uma alegria. Daí não tinha chuva, não tinha sol, não tinha calor e nem frio, que a gente tava lá, no estádio. Eu e os guris. Não é perto, né? Mas a gente ia em tudo que era jogo. Depois veio tudo isso aí, essa tristeza. Mas amanhã vou lá.

  • Amanhã? Mas não tem jogo…

– Pagar, né?

  • A senhora pagou de pagar porque o Inter caiu?

– Nããão, claro que não, né? A gente tá sempre junto do Inter. Só atrasei. Fiquei com preguiça de ir até lá pagar, é bem longe. Mas agora já vou colocar em débito, já resolvo isso tudo.

  • E este ano, quem é o melhor do Inter?

– Ah, que pergunta! D’Alessandro, né? Tá bem qeu não corre mais como antes. Mas e os passes que ele dá? Hein? Cansa de botar a bola na cabeça daqueles podres lá, que nem pra empurrar a bola pra dentro. Eu vejo o jogo e fico chutando as bolas pra dentro, da poltrona. No fim do jogo a minha perna fica cansada, viu? Porque eu fico fazendo assi, ó [movimentos de chute], o jogo todo, de tanto passe que o D’Alessandro dá. Ele é o melhor. Se tivesse no time, a gente não tinha caído. Ali tem raça também.

  • Ficou muito triste com o rebaixamento?

– Baaaah… eu chorei, viu? Chorei bastante mesmo.


#VamoVamoInter
#FeitosDePaixao

About author

Raul Krebs

Fotógrafo e colorado desde sempre. Traz pro Alambrado dois instrumentos essenciais: corneta e flauta.

3 comments

  1. Edson Chaves Filho 2 Fevereiro, 2018 at 15:40 Responder

    Raul, que beleza de entrevista. Um beijo cheio de orgulho para dona Terezinha, que mostra como deve se comportar um Colorado, na alegria e na tristeza. Abraço

  2. Dorian R. Bueno 5 Fevereiro, 2018 at 09:29 Responder

    SOL, PRAIA, CEVA, FÉ E UM RESFRIADO DE VERÃO!!!

    Conheço um vivente alegre que não utiliza a sua foto nas redes sociais e isto é um direito dele para quem sabe se prevenir de alguma gozação por ser muito feio.
    Descaradamente usa ali em cima naquele cantinho da esquerda, dois latões de ceva alinhados um ao lado do outro de forma estática e congelada.
    Um com o distintivo do Internacional e a outra com a marca da sua gelada companheira de verão, inverno, enfim de todos os dias.
    Esta semana para demonstrar o seu amor e falar para todo mundo que gosta tanto de cerveja bem gelada, escreveu que estava apavorado e triste.
    Pegou um mega resfriado de verão e não estava conseguindo dar atenção para o seu gelado vício, e que precisa se curar desta enfermidade.
    Lendo isto tentei ajudá-lo com uma receitinha básica.
    Disse pra pegar um limão com bastante suco, pedir emprestado para alguma abelha um pouco de mel, ferver água até ficar quentinha, abrir um latão de cerveja e derramar o seu líquido na pia, e não se esquecer de lavar bem a lata.
    Depois deveria colocar dentro desta companheira lata vazia a água quente, o suco do limão com mel, e beber bem na manha sem ficar se lamentando que este líquido é estranho por ser muito quente.
    Para demonstrar a minha preocupação e lealdade, reforcei que Graças ao bondoso e generoso Deus, está receita iria curá-lo sem lhe deixar triste e bêbado para continuar a sua caminhada com mais fé e menos vícios em vão.

    Abs. Dorian Bueno, POA, 05.02.2018

Deixe uma resposta